O QUE PENSO

Aborto:
Não trarei a baila a discussão jurídica em torno das Teorias de concepção x natalidade!

Quero falar da relação de Amor entre mãe e filho!
Mesmo no reino animal esta relação surpreende pela "entrega de vida" da genitora por sua cria!
A força do Amor, que é invisível contudo sensível e transformadora, encontra sua forma mais sublime na relação maternal!

Quem não compreende a importância do Amor e sua grande força transformadora para o espírito, não encontrará a Paz.
E não me refiro ao amor recebido! 
Mas o doado! (Ágape)
Sem esperar nada em troca a não ser o bem do ser Amado!
O Amor nos limpa e revela nossa mais pura semelhança com o Criador!
Deus é Amor!
Todas as pessoas que se abriram para a caridade (Amor em ação) mudaram o ambiente a sua volta!
O Amor irradia e contagia!
Por outro lado abandona-Lo trás consequências nefastas ao homem! Perde o sentido da própria existência!
A alma fica lúgubre e o Espirito empobrece.

E é nesse diapasão que encontramos a raiz do problema na aceitação social da mãe grávida rejeitar e exterminar sua própria cria.
Trata-se de privilegiar seus projetos materiais em detrimento da mais sublime experiência de Amor concedida ao ser.
Gerar a vida!
Aceitar que uma mãe conceda a morte de seu próprio filho é a maior das misérias humanas.
Trás escuridão a alma e destrói a esperança de um mundo justo!
Que não seja esse o nosso destino.

Quero terminar essa meditação com a lembrança da beleza externada pela lágrima da mãe que recebe seu filho nos braços pela primeira vez!
Repito!
Deus é Amor!
Que Ele nos dê a sabedoria e a força para continuarmos lutando pela vida nossas crianças e, por consequência, um mundo melhor!